Senta que lá vem história…. #1 (parte 2)

Certo meninas, como todas estão ansiosas para saber o que aconteceu, vou colar abaixo as últimas coisas que disse no post passado e retomar a história desse ponto. ;*

“Como eu não fazia a menor ideia do que um médico poderia fazer por mim, achei melhor esperar. Na manhã seguinte pedi para o meu irmão olhar a unha e ele constatou, a unha estava encravada.”

Eu estava de férias, sendo feliz na casa do meu irmão, mas a maldita da unha encravava mais a cada dia e o dedo piorava. Minha cunhada me emprestou uma pomada que ela usou quando teve um problema na unha (vou entrevistá-la depois sobre isso, porque não tem nada a ver com unha encravada, mas pode interessar a vocês) e com a pomada a inflamação cedeu um pouco, não doía tanto quanto na madrugada do dia 03, mas não dava para mexer, bem que eu tentei, meu irmão tentou também e quase me matou, (exageraaaada) mas realmente não dava. Eu tinha então 4 opções naquele momento:

1- Procurar um médico (mas qual?)

2- Procurar um podólogo (numa cidade bem longe da minha, parecia arriscado)

3- Voltar pra casa (em plenas férias? ah vá!)

4- Deixar como estava e tentar aguentar até doer o bastante pra eu só ter a primeira opção como plausível ou melhorar magicamente. (otimista ou pessimista?)

Resolvi deixar como estava e tentar aproveitar o momento, eu não sabia quanto tempo passaria lá, podia ser uma semana, duas, era totalmente indeterminado… Um belo dia, quando meu irmão, minha cunhada e eu estávamos conversando, minha cunhada se lembrou de um amigo do meu irmão que tinha problemas com unhas encravadas, amigo esse com quem meu irmão trabalha no laboratório, então meu irmão que já pretendia me levar com ele para a base oceanográfica naquela semana, não pensou duas vezes, lá fomos nós.

Conversando com o amigo do meu irmão, ele contou que as unhas dos dedões sempre encravavam e que as vezes ele ia ao podólogo para cortar, mas como sempre voltava, muitas vezes ele mesmo, em casa, pegava uma toalha e cortava as unhas na marra, a toalha era pro sangue. Segundo ele isso doía muito, mas depois melhorava, enquanto eu pensava: “aham, tá bom, mas não quero tentar, NÃO QUERO!”

Nem preciso dizer que não fiquei nem um pouco tentada a procurar médico, muito menos cortar por conta própria, né?

Passei os próximos dias tentando viver normalmente com minha unha encravada e minha carne esponjosa e a unha do outro lado começando a querer encravar também, porque até agora era só o dedão do pé direito. Tive bons momentos, me diverti, fui até a um parque aquático e, claro, “acidentei” a unha doída, mas nada muito caótico, foi um dia bem legal.

Nos dias que passei lá, continuei usando a tal pomada, que realmente não me lembro o nome, e quando percebi um inchaço maior na tal carne esponjosa, resolvi apertar pra sair o pus. Esse processo é nojentinho, mas a dor diminuiu MUITO.

Dia 22 de janeiro voltei pra casa, alguns dias depois passei pelas mãos da minha manicure de confiança.

Dúvida de novo: Beber ou não beber antes de a manicure começar a mexer? Não bebi, mas devia ter bebido.

Ela começou pelo dedo menos inflamado, eu agarrada à minha mãe, morrendo de medo. Com toda paciência e cuidado, manicure, que por sinal é minha xará, foi cortando o cantinho da unha até chegar no ponto em que a bendita encravava, que era mais ou menos no meio do dedo. Pra conseguir desencravar doeu viu? Não vou mentir, doeu, mas deu pra sobreviver, embora a essa altura eu já estivesse chorando de soluçar.

Ela passou para o dedo pior, só de segurar o dedo pra começar a mexer, eu quase infartava, minha mãe, coitada, continuava presa ali, eu não a soltava por nada no mundo, e a Bia ia tentando abrir espaço, e doía, e ela cortava um pouquinho, e eu chorava e perguntava se faltava muito, (pobre criança inocente) ela dizia que sim, mas sempre com muita paciência e cuidado. Quando ela chegou ao ponto crítico eu berrei de dor como jamais imaginei que aconteceria na minha vida, todo meu auto controle estava focado em não puxar o pé, o choro aumentou, minha mãe com pena, passando a mão na minha cabeça, sem saber o que dizer. Mais gritos, mais sofrimento, até que ela finalmente terminou.

Quando terminou, eu sentia os dedos doloridos de ter mexido, mas parecia que nunca houvera uma unha encravada ali.

Eu fiquei feliz, torcendo para que esse sofrimento tivesse acabado ali, porque eu não conseguiria encarar outra tarde dessas, mas no fundo eu sabia que provavelmente as unhas continuariam encravando.

Meu sossego não durou mais do que algumas semanas e em pouco tempo as unhas voltaram a encravar e inflamar, não tinha jeito, elas estava crescendo em um formato diferente depois do “trauma” de Curitiba (trauma das unhas, não meu, quer dizer, meu também).

Fevereiro 2011

O sufoco continuava e muita gente dava seus pitacos, uns diziam para procurar médico, outros podólogo, outros dermatologista, outros diziam que não podia cortar muito a unha (esses eu quase xingava), e eu continuava sem saber o que fazer, porque o mais correto parecia ir ao podólogo, mas algumas pessoas relatavam que iam e nunca mais tiveram problema, outras que o podólogo nunca deu jeito. Eu queria arrancar o dedo, sério, cogitei…

Acabei indo a uma dermatologista, que quis tentar cauterizar a carne esponjosa com ácido, quase não dói, só arde um pouquinho na hora, depois fica um incomodozinho, mas não é nada sério, uma bolada dói mais. Infelizmente, não adiantou. Ela também me mandou ficar com o dedo inflamado mergulhado em água morna com vinagre BRANCO, para ajudar a desinflamar, era pra fazer isso duas vezes por dia, depois passar uma pomadinha.  Essa história da água com vinagre branco é dica quente gente, infelizmente, como meu caso era complicado, não adiantou muuuita coisa, mas deu uma melhoradinha. A proporção é 1 de água pra 1/2 de vinagre.

Um dia, fui a uma festa a fantasia de uma amiga e conheci um amigo dos meus amigos, em algum momento surgiu o assunto das minhas unhas e ele contou a experiência dele, que ele sofria há anos com unhas encravadas, que tinha que trabalhar de sapato fechado e doía, até que ele resolveu operar (ooooooh! uma luz na minha vida!!!). Ele disse que operou no Espírito Santo e uma semana depois foi pra Campus Party, tirou os pontos por lá mesmo e estava ótimo, não demorou muito pra que ele conseguisse voltar a calçar fechado e sem sentir dor nenhuma! Aí perguntei que tipo de médico ele tinha procurado, ele disse que foi um cirurgião e me explicou como era feita a cirurgia.

Essa cirurgia, chamada comumente de Cantoplastia é bem simples, vejam só:

Imagem: Reprodução

Percebam na imagem, que no primeiro dedo tem uma linha pontilhada, que indica onde a unha vai ser cortada. A unha é cortada até a raiz, pra que ela não volte a crescer no mesmo formato, e a raiz da unha é essa parte bem delineada no desenho, abaixo da cutícula. Deu pra entender pelo desenho? Eu encontrei um vídeo no youtube que mostra um procedimento real, bem parecido com o que eu fiz, não tem nada demais, podem ver sem susto.

No meu caso, foi usado um bisturi elétrico pra cauterizar o corte, no caso do colega da festa, foram pontos, agora, esse camarada do vídeo eu não entendi… Mas enfim, não importa.

Março 2011

Voltei à dermatologista pra outra cauterização, já sem esperanças, e perguntei sobre a cirurgia, ela disse que se essa cauterização não adiantasse me encaminharia para o cirurgião. Como a cauterização não funcionou mesmo, voltei a ela e ela fez o prometido, me indicou o cirurgião plástico de confiança dela e tudo.

Vou pular a parte chata de marcar consulta, pegar aprovação do plano de saúde, que sim, cobriu a cirurgia (Unimed) e ir direto pros finalmentes, né?

Abril 2011

A cirurgia foi feita dia 25 de abril, logo depois da Páscoa, tudo correu bem, mas o pós operatório é chatinho gente, fora os dois dedos gigantes por causa dos curativos, tá essa parte era engraçada. Mas tem que trocar os curativos todos os dias no hospital, não pode molhar, essas coisas cansativas…

Um dos medos que eu tinha da cirurgia era que muita gente dizia que com o dedo inflamado a anestesia não ia pegar, outros diziam que pegava, se por acaso alguém tiver essa dúvida, pode ficar tranquila que pega sim, porque é feito um bloqueio no dedo, bem antes da unha.

De lá pra cá os dedos foram cicatrizando lentamente, a última casquinha saiu há duas semanas atrás mais ou menos, então percebam que é um processo beeem lento. O do moço da festa foi bem mais rápido, porque ele estava de tênis na festa e a cirurgia dele foi em janeiro, um mês depois da minha cirurgia eu não podia nem sonhar em chegar perto de nada fechado. Com o inverno chegando e as noites frias de junho eu tive que dar um jeito e comecei a calçar uma bota, dessas com cara de montaria, que é tam. 39 (meu pé é 38) e como ela era toda acolchoada por dentro eu conseguia andar devagar, ainda sem poder confiar muito.

Hoje eu consigo calçar mais coisas, esse mês consegui usar sapatilhas, mês passado ainda não conseguia, doía. Então é assim, a cada semana uma nova conquista, quase como é com um bebê. Minhas unhas estão feias, ainda não se entenderam e tem partes soltando, outra parte crescendo por baixo, mas nada que machuque por enquanto. Quando eu saio ainda coloco band aid dependendo do que for calçar, se for aberto, uso o band aid pra esconder a unha, se for fechado, pra proteger de alguma coisa, como um eventual pisão.

Espero ter matado a curiosidade de vocês e ter dado uma luz, caso alguém sofra ou venha a sofrer de algum problema parecido. Foi muito ruim ter tantas dúvidas e não ter a menor ideia do que fazer, então, se o problema for bem no início, podólogo pode ser uma boa solução, mas se a situação for mais delicada, é melhor procurar um dermatologista.

Beijos e boa semana!! ;****

Anúncios

Sobre Eu não nasci rica
Read at https://eunaonasciricablog.wordpress.com/sobre/

27 Responses to Senta que lá vem história…. #1 (parte 2)

  1. Vickie says:

    Essa.doeu.em.mim. ouch

  2. excel-chan says:

    Nossa, eu sofri lendo esse post, meus dedos até ficaram doloridos rsrs, mas que bom que teve um final feliz a história e que deu certo a cirurgia \o/
    Não sabia da existência dessa cirurgia, interessante.
    Melhoras para ti e que logo logo tenhas as unhas bonitas novamente.
    : *

    • Bia Gomes says:

      Obrigada!! \o/

  3. oi!

    eu tive o mesmo problema!! e acabei, tb, no dermatologista! fiz até a mesma microcirurgia!

    só que a minha unha nunca mais cresceu igual e de vez em quando ela dá sinal!!

    a minha unha infeccionou muito antes de ficar encravada de vez! só que eu não sentia dor, sabe, então demorei mais de ano pra procurar um médico!!!rs…….

    • Bia Gomes says:

      Infeccionou e você não sentia dor?? Não sei se isso é uma bênção ou um desastre…

  4. Eva Super says:

    Aiii amiga, que dó de vc…
    Tenho um colega do trabalho que sofre desse mal….
    vou mandar o link pra ele ler…
    bjinhos

    • Bia Gomes says:

      Manda sim, talvez dê uma luz!

      ;*

  5. Ana says:

    Uiui, que dorzinha =(

    Eu lembro que na mesma época que minha unha encravou feiamente, um amigo tava com essa cirurgia marcada… ele fez, ficou com os dedos bons e eu lá sofrendo com o tratamento alternativo de deixar-as-unhas-crescerem…

    Lembro até que ele me mandou uma foto dos dedos com pontos (e eu quase mandei uma dos meu dedo babando pus). No fim, acho que deve dar no mesmo os “tratamentos”, pq imagino que o pós-operatório seja bem dolorido. @__@

    • Bia Gomes says:

      Nem tanto, só nas primeiras semanas porque o dedo fica sensível, mas nada comparado à dor da unha encravada mesmo.
      Fui ao cirurgião 15 dias após a cirurgia pra revisão e a secretária dele pisou no meu dedo e nem doeu, deu medo, mas não doeu…

  6. Simone says:

    Oi, passei pela mesma coisa que vc…a unica sequela é um leve, mais bem leve afundamento na lateral da carne, no meu caso o médico tirou toda unha, …levou em torno de uns 8 meses para crescer, mas valeu a pena, nunca mais tive problemas nem com carne esponjosa, nem com unha encravada… vc vai ver que benção e que foi a melhor coisa que vc fez…!!!

    • Bia Gomes says:

      Disso eu não tenho a menor dúvida, e espero não ter que passar por tudo de novo, acho que me faltaria coragem…

  7. Joana says:

    Ah Bia que pena… Até doeu em mim enquanto você contava a história!! Sério… Muito mau! Nunca tive esse problema, mas já estou avisada agora. Ainda bem que acabou tudo dando certo! Beijo

  8. Marcinha says:

    Nossa Bia, cheguei a ficar com falta de ar lendo esse post, tamanha a aflição que senti lendo o seu relato…
    Nunca tive unha encravada na vida e não fazia ideia que era esse sofrimento todo, aliás tb não fazia ideia de que sapatos fechados e apertados poderiam provocar isso, deu medinho agora viu…
    Mas graças a Deus terminou tudo bem, to achando os hematomas nas minhas dos pés tão pequenos agora perto de tudo que vc passou… O_o

    • Bia Gomes says:

      É, eu também nunca tinha parado pra pensar que sapatos podiam levar a isso, se soubesse tinha tratado de comprar um bom tênis em Curitiba mesmo, podia ter evitado isso tudo. Sinceramente eu não sei como a unha que crescia em um formato, depois do trauma passou a crescer em outro, mas enfim né… Bom saber!

      ;*

  9. Caminie Mouse says:

    Fiquei mto agoniada lendo essa parte, eu sinto a dor junto, hauahauhauhaa

    Nunca tive problema com unha encravada (thank God!), mas imagino a dor q deve ser!

    Mas posso falar uma coisa Bia? o nosso grande erro em momentos como esse é ficar escutando os outros. Todo mundo gosta de dar pitaco nos nossos problemas e cada caso tem uma história diferente, não dá p/ se basear nos relatos alheios. Tem q correr logo p/ falar com quem entende (oi, doutor).

    Eu tenho problema de via lacrimal entupida no olho direito e ano passado fiz uma cirurgia p/ resolver o problema (e só resolveu por 7 meses). Foi a primeira vez q entrei na faca e até q estava tranquila, mas aí um dia antes da cirurgia o pessoal do escritório começou com um papo de cirurgias onde os médicos operam o lado errado do corpo e passaram o dia contando histórias. Eu tirei sarro da situação, mas se é outra pessoa se c*g* de medo e desiste.

    Ainda bem q deu tudo certo p/ vc, boa recuperação!

    • Bia Gomes says:

      O problema é que como eu não fazia ideia de que médico procurar, tinha que perguntar pra quem já tinha passado por isso, mas o importante é que deu tudo certo!
      Eu também não tenho medo de cirurgia não, tem que fazer, que seja logo, mas das duas vezes que operei, foi dos dois lados, então não corri o risco do médico errar.. xD

      ;**

  10. Carol says:

    Aaaii..como eu sofri lendo isso! Ainda mais que sofro do mesmo mal há pelo menos 2 anos e meio..já tratei uma vez com a podóloga mas agora a inflamação voltou com tudo..tá terrível..a dor é desesperadora(de verdade!)..Estou me encorajando pra ir á médica de novo essa semana..morro de medo de ter que fazer cirurgia..mas fico feliz em saber que pra vc o problema foi resolvido..pq ninguém merece esse sofrimento né..Bjão e boa sorte pra nós e todas que passam por isso..

    • Bia Gomes says:

      Realmente ninguém merece esse sofrimento. Eu acho que você deve criar coragem sim e, se sua médica recomendar, fazer esse procedimento. É uma cirurgia super simples, feita em uma salinha de pequenas cirurgias, então nem chega a precisar de centro cirúrgico, você chega, faz e vai pra casa, passa uns diazinhos com os pés pra cima e depois tá tudo certo!

  11. Jacque says:

    Olha….tb sofri lendo seu relato….lembrei de tudo que passei tb…mas o seu caso axo que foi
    ainda pior…rs
    Graças a Deus não precisei de cirurgia…da primeira vez a podóloga me indicou um tratamento em que ela colocou uma protese (um aparelinho de ferro, tipo de aparelho dental) pra forçar a unha a nascer mais aberta…qnd terminei ficou bem feio mas as laterais da unha pra fora mas depois foi endireitando….tanto que o problema voltou….e a última agora fez exatamente o procedimento da cirurgia mas como ñ tava inflamado ainda ela conseguiu fazer no próprio consultório mesmo….em uma vez só resolveu mas ela disse que com o tempo tem que fazer dnovo pq a unha continua nascendo errado até ela “entender” que é pra nascer do jeito q tá sendo cortado….será q me fiz entender?!…rsrsss
    No seu caso acredito que ñ precise fazer outras vezes por causa da cauterização, aí a unha vai nascer no espaço que o cirugião determinou né?!
    Bem, fico beeem feliz que tenha dado tudo certo mas fica a dica pra quem tá lendo….sentiu dor nos dedos corre pro podólogo que sendo no início ele resolve e com certeza sem tanto sofrimento….rs
    Bjocas.

    • Bia Gomes says:

      Pelo que o médico me explicou, cortando a lateral da unha até a matriz, ela não cresce mais, qaundo as pessoas tiram a unha inteira, ela volta a crescer porque não tiram desde a matriz, tiram só a parte de fora, a que a gente vê. Bom, foi isso que eu entendi.
      Mesmo assim, o médico disse que se eu não tomar cuidado, pode encravar de novo, inclusive pelo outro lado do dedo.

  12. Eloisa M. says:

    Minha mãe teve esse problema, mas ela foi a uma podóloga e a moça colocou na unha um tipo de tracionador de metal, que vai colocando a unha no lugar aos poucos, como um aparelho de dentes, e só retirou quando o problema foi resolvido. Ela também disse para evitar cortar as unhas dos pés muito curtas.

  13. Menina, revivi com sua história todo o meu drama também. Só que no meu caso não foi só uma, foram duas cirurgias.
    Minha unha é curvada demais, um U invertido, como dizem, ai conforme o crescimento a ponta vai entrando na pele.
    Na primeira vez retirei meia unha, até a matriz, mas como ela estava muito inflamada e havia crescido muito corpo esponjozo não fez o efeito esperado. Não senti dor nenhuma na recuperação, tamanha a inflamação.
    Porém depois que unha cresceu novamente a situação ficou pior, então tive que novamente tirar meia unha, desde a matriz e também o tal corpo esponjoso. Aí sim foi sofrido, nunca senti tanta dor, só que deu resultado.
    Depois da segunda cirurgia, e já fazem 7 anos que fiz, nunca mais tive problema. Só que devo isso principalmente ao acompanhamento de uma podóloga incrivel. Faço os pés mensalmente com ela e evito mexer na unha (só tiro o comprimento). Ela retira os cantinhos, não dói nada e NUNCA mais tive problema.

    Por isso, se quiser um conselho de quem já sofreu MUITO com isso: descubra uma podóloga de confiança, se não manter em dia provavelmente ela irá encravar de novo, e de novo, e de novo.
    bejos.

  14. Paula says:

    Bia, eu tive a mesma coisa que vc e nem sabia!
    É que minha unha encravou quando eu era criança, tinha menos de 10 anos, e nem lembro como isso aconteceu nem do grau da dor. Ai meu pai, que é médico e tem uma clínica, olhou e falou que ia me levar num médico lá da clínica. Ai beleza né, eu fui e nem sabia o que o médico ia fazer. Ele disse que ia me dar uma anestesia. Ok né, nem sabia pra quê. Acho que achei que ele ia cortar o pedaço da unha que tinha entrado na pele, e que a anestesia era pq doía mexer nessa unha. Eu deitada na maca, pergunto pra minha mãe se ele não ia começar a cortar. E ela, “mas ele já está cortando”. Eu “quê?” XD. Oi? Me operaram e nem me avisaram? rsss. Saí com o dedo enfaixado, lembro que não conseguia andar direito por causa do curativo.

    Mas minha unha nunca cresceu igual. Ela cresceu mais grossa que a do outro pé, tanto que não dava pra cortar com a tesourinha de unha, que não dava conta. E ela formou um tipo de degrau perto da base da unha, e tinha um vão entre a unha e a carne, do tipo que dá pra enfiar a tesourinha em baixo, na região que encravou. Esse degrau sumiu quase todo depois de uns 5 anos, e a grossura da unha dimiuiu um pouquinho depois de mais alguns anos, mas o vão ainda existe. A unha ainda não é igual a do outro dedo.

    Essa história condiz com a sua?

  15. Pingback: 1 ano após operar as unhas encravadas… « Le Vernis

  16. Marina Stecchini says:

    Estou indo pra minha segunda cirurgia amanhã a tarde,vou fazer os dois dedos..Já fiz uma vez e ela não deu resultado,meu médico diz que não é sempre que a cantoplastia resolve,mas ela é bem eficaz,por um bom tempo me aliviou,mas infelizmente voltou e agora ainda OS DOIS DEDOS!Estou com muito medo,na primeira cirurgia levei seis anestesias de tão infeccionado que estava.. 😦 não quero sofrer tudo de novo em vão,espero que seja a ultima vez!!

  17. Anibal says:

    e alguem sabe que acido é esse, e se vende em farmacia. pois antes de pensar em cirurgia quero tentar essa alternativa

  18. Olá,tive esse problema de unha encravadas por cinco anos.No dia 25/07 fui a podóloga e fiz o procedimento que parece com esse da imagem,infelizmente não sei porque,a anestesia não funcionou então senti toda dor (E COMO DOEU !!).Enfim,estou aqui porque já que você passou por algo parecido e muita gente que também passou vem e comenta,gostaria de lhe pedir dicas/ajuda porque eu estudo e preciso usar tênis,minhas aulas recomeçam dia 05 e queria saber : Posso usar o tênis,mas com um curativo ? Ou é melhor mesmo o sapato aberto ? O meu medo é que fica bem feio depois do procedimento,as pessoas olham com nojo,fico com vergonha,como você fazia usando o sapato aberto para as pessoas não olharem ?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s